Jornalismo: informativo e opinativo

Esta é uma linha tênue, muitas vezes despercebida, principalmente pelo público. Mas também confundida – intencionalmente ou não – por muitos jornalistas: informar e opinar.

O jornalismo informativo, via de regra, é aquele das matérias de jornais, revistas, tele jornais ou rádio notícias. São as reportagens, mostrando fatos do dia-a-dia, da sociedade. E deveriam ser objetivas, imparciais, limpas e claras, fornecendo ao público a oportunidade de refletir sobre as notícias e então formular sua própria opinião.

No jornalismo opinativo, como o próprio nome diz, o jornalista expressa a sua opinião sobre os fatos, baseado em seus conceitos, visões de mundo, princípios e ideologias as quais defende.

Todos os veículos de comunicação possuem as chamadas “linhas editoriais”, onde estão os valores defendidos pela empresa jornalística. E aí também não há clareza para o público, principalmente quando se trata de Brasil. Por aqui, com raríssimas exceções, as “linhas editoriais” não são claras, mas influenciam e determinam quais reportagens serão mostradas ao público e em qual linguagem, impregnando as notícias com as ideias defendidas por aquele órgão de imprensa.

Nada há de errado em defender princípios, valores e ideologias. Desde que para o público, seja transparente e claro.

Em outros países, como nos EUA, a maioria das empresas jornalísticas assumem claramente suas posições. O consumidor das notícias veiculadas por elas, sabe de antemão, como serão apresentadas. Portando, saberá qual “carga emocional” será impregnada nas informações e poderá aplicar seu filtro.

Também nada há de errado, quando o jornalista apresenta a informação e a seguir expressa sua opinião sobre a mesma, desde que deixe claro ser “a sua opinião”.


Inaugurei meu Blog em 2003, já com o sub título: Um Blog de Opinião. Deixando bem claro aos leitores, serem as minhas visões sobre os fatos analisados e ali publicados.

E está bem claro também, os valores por mim defendidos: democracia; defesa intransigente dos direitos humanos e da liberdade de opinião, expressão e manifestação; redução do tamanho e interferência do Estado na vida do cidadão; defesa do livre mercado e empreendedorismo.

Dezenove anos depois, os agora 175.000 leitores, tem a certeza de encontrar ali, minhas percepções, baseadas nos valores e princípios por mim defendidos. E o mesmo aos espectadores e ouvintes dos programas por mim produzidos e apresentados, como o “Papo Franco” – já no seu terceiro ano – e “Cervejeiras&Cervejeiros” – que em setembro próximo, completará seu primeiro ano de veiculação.

Mas é importante ressaltar: tanto no jornalismo informativo, quando no opinativo, o jornalista deve ter a responsabilidade de buscar o conhecimento sobre os fatos apresentados. Isto envolve muita pesquisa, ouvir diversas fontes, opiniões diferentes e divergentes. Porém, percebo, cada dia mais, preguiça por parte de muitos profissionais, tratando os fatos com desleixo, apresentando ao público um produto final (seja informação ou opinião), de baixa qualidade e pouca profundidade.

Nesta semana comemoramos o “Dia da Liberdade de Imprensa”. E sim, a imprensa deve ser livre, mas também responsável.

Se fala muito, atualmente, sobre “fake news”, colocando seu peso nas redes e mídias sociais. E aí já está a ausência do “mea culpa”, pois não foram as redes e mídias sociais que as criaram, foi justamente a imprensa tradicional, anos atrás. Hoje, as mídias digitais apenas tem maior poder de propagação.

O jornalismo responsável tem o dever sagrado de defender a verdade e desconstruir as mentiras e informações intencionalmente criadas para levar o leitor, ouvinte ou telespectador ao erro de análise a avaliação.

Estamos em ano eleitoral, num momento de forte polarização, de acirramento de ânimos – não apenas no Brasil, mas no mundo todo. E justamente neste momento aumenta a responsabilidade da imprensa no trato das informações e mesmo opiniões.

O bom jornalista não se utiliza de “chutômetros”, mas de conhecimentos.

Silvio Luiz Belbute
Jornalista e sociólogo
MTb 0018790/RS