Vencedores e derrotados – Parte I

Continuando as análises referentes as eleições municipais, nesta primeira parte de “Vencedores e derrotados”, falarei sobre os vencedores.

Em Porto Alegre, venceu a diversidade, com a ampliação da representação feminina e negra na Câmara de Vereadores. Ainda longe do ideal, mas um significativo passo histórico e uma demonstração inequívoca do amadurecimento do eleitorado. Certamente haverá repercussões nas eleições de 2022.

Ainda sobre Porto Alegre, venceu a escolha pela experiência, deixando de lado aventuras ideológicas. Já experimentamos outras aventuras, cujos resultados colhemos até hoje, principalmente em nível nacional.

Governador Eduardo Leite pode comemorar vitórias importantes de seu partido, PSDB, pelas conquistas de cidades chave do estado: Caxias do Sul, Santa Maria, Pelotas, Novo Hamburgo e Viamão. Leite sempre reiterou ser contrário à reeleição, se mantiver sua posição, tem em Paula Mascaranhas (reeleita em Pelotas) e Jorge Pozzobom (reeleito em Santa Maria), quadros valiosos para a disputa ao Piratini em 2022.

Em nível nacional, o grande vencedor foi o DEM e Rodrigo Maia. O partido que Lulla desejava “extirpar da política nacional”, ampliou em 72% o número de prefeituras, ficando entre os cinco partidos com mais prefeitos (462). Desbancou o PT, que tinha 637 prefeituras e agora está com 172.

Rodrigo Maia ganha força e se conquistar a reeleição para a presidência da Câmara Federal – em análise no STF – será o nome chave para consolidar uma ampla frente de centro, na disputa de 2022, junto a Dória, Luciano Huck e Eduardo Leite.

Mas também é importante ressaltar o PSOL, além de ampliar sua presença na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, foi para o segundo turno em São Paulo, projetando nacionalmente Guilherme Boulos, que será um nome forte da esquerda para 2022.

Vale lembrar que o PSOL surge após o PT expulsar Heloisa Helena, Luciana Genro, Babá e João Fontes, por discordarem da administração de Lulla, votando contra seus projetos e criticando com veemência a política econômica do governo petista.

No próximo artigo, falarei mais sobre “Vencedores e derrotados”.

Silvio Luiz Belbute
Jornalista e sociólogo
MTb 0018790/RS