Eleições 2018 - resumo

São inúmeros pontos a serem analisados e muitos aspectos a serem considerados. Não são simples, comuns ou corriqueiros. São complexos, profundos e marcam um divisor de águas para o futuro do país. Pontuarei alguns tópicos e procurarei aprofundá-los nos próximos dias.

1- Não foi uma eleição, uma escolha por propostas ou projetos. Foi um plebiscito, um sonoro NÃO ao PT e à esquerda; este movimento “pendular” não é apenas brasileiro: no mundo todo a guinada é para a direita;

2- Brasil dividido: ao contrário do que muitos falam, o país sai destas eleições ainda mais dividido. E esta divisão tende a aumentar e recrudescer. Nenhuma liderança nacional, atualmente, tem as condições de pacificar e unir o Brasil;

3- Está foi a primeira eleição puramente da internet: as redes sociais comandaram o show e colocaram no córner as mídias tradicionais e grandes redes de comunicação. Já no horário eleitoral gratuito os maiores tempos de TV não atingiram os resultados como em outras eleições;

4- Os anseios dos eleitores do Bolsonaro serão frustrados logo a seguir, pois o país está quebrado e medidas muito duras deverão ser tomadas e muitas promessas serão esquecidas;

5- Um alerta: o PT não está morto. 44% da população votou no PT. E o PT, na oposição, fará o que sempre soube fazer de melhor: OPOSIÇÃO;

6- Votos brancos, nulos e abstenções somaram mais de 30%. Um número significativo de pessoas que não queriam nenhuma das opções e um contingente capaz de mudar os rumos da eleição. Não devem ser menosprezados;

7- 2019 não será um ano fácil, veremos muitos embates, muitos confrontos, não apenas de ideias.

Sigamos em frente.