Quem pensa, sofre.

“A vida mais doce é não pensar em nada” (Nietszche)

A formação do pensamento é natural. Posso pensar que gosto ou desgosto de algo; posso pensar em ir ao centro de ônibus ou a pé; posso pensar em comprar uma calça ou uma camisa.

Entretanto, outros tipos de escolhas, necessitam de um pensamento mais elaborado, que não se forma naturalmente. Escolher se terei um ou mais filhos; escolher estudar inglês ou espanhol; escolher entre um romance ou não-ficção. Estes tipos de pensamentos são formados com o acumulo de conhecimentos, através da educação formal e complementar, através da leitura e compreensão do que se lê. E são estes tipos de pensamentos que nos auxiliam a ter "senso crítico", nos dão a capacidade de interpretar os fatos, de ler as "entrelinhas", de compreender o que não é dito, apenas demonstrado.

Com a forma de pensamento natural, linear, podemos assistir a um jogo de futebol, vibrar com a vitória do nosso time. Saber algumas regras do esporte, por repetição, sem a preocupação em entendê-las. 

Já o pensamento complexo nos habilita a perceber se alguém está mentindo ou pelo menos escondendo algo, se é sincero ou matreiro. Podemos entender uma noticia, mesmo com alguns termos técnicos específicos.

O pensamento complexo é um exercício constante, diário, capaz de nos tirar do comodismo e nos lançar na aventura da vida.

Porém, quem pensa, sofre. Sofre por que entende, compreende e muitas vezes se sente um completo inútil. Sofre por que percebe os fatos, a realidade, projeta o futuro e sabe antecipadamente as conseqüências. Sofre por que não se deixa iludir.

É o pensamento complexo que nos dá a capacidade de ler um jornal, uma revista ou um livro e poder captar a linha editorial, o sentido não expresso.

Pelos dados do Pisa, prova feita em 70 países, o Brasil ficou na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática. Mais de 70% dos jovens que saem das escolas são chamados de "analfabetos funcionais". Sabem ler e escrever, mas não compreendem o que lêem.

Então como poderão formar o pensamento complexo? Como poderão ler as noticias em jornais (se é que lêem!) e compreender suas implicações em seus futuros? Como poderão assistir um telejornal e formar opinião?

Não podem! E é este imenso potencial humano desperdiçado, o grande trunfo dos políticos inescrupulosos, dos "sanguessugas" da inteligência e da formação da consciência.

Quem pensa sofre. Sofre por ter esta consciência e saber que tudo é feito para não mudar, pois a perpetuação no poder só se dá quando não há senso crítico ou quando esta consciência é reprimida pela força.

Não quer sofrer? Não pense!