Esta culpa não é minha


Com esta história de migrações e "crise dos refugiados", suscitou o debate sobre 'de quem é esta terra afinal' e algumas pessoas começaram a compartilhar imagens de índios, questionando: "Você é contra imigração? Então quando é que você vai embora?".

Bom. Começa que sequer as criaturas que estão compartilhando a imagem do indiozinho com a frase acreditam mesmo nisto. Caso contrário, seriam as primeiras a devolverem seus apartamentos, terrenos na serra e na praia e se mandado para algum lugar ainda não desbravado e totalmente desabitado. Devolveriam seus carrões, produzidos com o aço e plástico usurpado pelos "verdadeiros" donos.

Esta culpa não é minha. Não tenho qualquer culpa na vinda dos vikings primeiro e dos espanhóis e portugueses depois e de tudo que aqui fizeram. Ah, como a culpa não é minha, os méritos pelas descobertas e criações também não são meus.

Esta culpa não é minha. Eu não matei, escravizei, estuprei ou torturei índio algum...nem negro...nem chines. E até onde eu saiba, nem meus antepassados. E mesmo que meus parentes o tivessem feito, foram eles, não eu.

Esta culpa não é minha. Já aproveito o ensejo para repetir o que disse, certa feita, numa aula de sociologia: também não tenho qualquer culpa pelas mazelas sociais, pela pobreza ou miséria de alguns. Assim como não tenho méritos pela riqueza e sucesso de outros.

Também não me sinto culpado pelo tal "pecado original". Não transei com a Eva e meus filhos não se mataram (pelo menos ainda não).

Ah, mas me delicio com os frutos da "árvore do conhecimento". Esta culpa eu assumo.

Carrego comigo apenas a culpa dos erros que cometi e cometo. Nunca autorizei ninguém a assumir culpas por mim. Assim como não jogo nos ombros dos outros meus pecados. Nisto sou absolutamente egoísta e individualista: meus erros são só meus e não os divido, nem compartilho com ninguém.

Me livrei destes fardos, criados apensas para nos escravizar, aprisionar num falso dilema ético. Um homem com culpa, atormentado por seus pecados - mesmo falsos - fará de tudo para espiá-lo. E desta forma, será mais facilmente manipulado e usado pelos imorais.

Não, eu não tenho dividas sociais a resgatar. Nem meus filhos por mim. E nem seus filhos por eles ou por mim.

Cada um que carregue a "sua cruz". Cada um seja atormentado por seus próprios fantasmas.

Então, quem sabe evoluímos como pessoas? Somos seres criados para desbravar, conhecer, ir longe, além do horizonte...apenas para ver o que tem lá.

Não, definitivamente esta culpa não é minha.