Reinventar-se

Como sempre, a prática é muito diferente da teoria.
Einstein já dizia: “Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exatamente igual”.
E não é?
No discurso assistimos muitas pessoas discorrem sobre a necessidade de nos reinventarmos. Porém, elas mesmas, seguem realizando tudo exatamente do mesmo jeito que sempre fizeram.
Sair da "zona de conforto" não é fácil, evidente. Mudar hábitos, rever conceitos (não princípios), alterar rotinas, laçar-se ao novo, requer elevada dose de coragem...e ousadia.
De que vale bradar sobre a reinvenção do ser humano, se você compra sempre o mesmo pão, na mesma padaria, no mesmo horário, todos os dias?
De que adianta discursar sobre as vantagens da renovação, se você frequenta o mesmo restaurante, toda semana e pede o mesmo prato e toma a mesma bebida?
Já experimentou fazer um caminho diferente até o trabalho? Mesmo que isto implique em acordar mais cedo?
Já tentou fazer algo diferente num domingo a tarde? Ou no sábado pela manhã? Ou na quarta a noite? Enfim, já experimentou escolher um dia qualquer e fazer tudo diferente do que está acostumado a fazer?
Não? Ah, então não me venha falar de "reinvenção".
Reinventar-se começa lá dentro, plantando o germezinho de uma sementinha, bem no fundo da mente. Depois vá regando com doses de ousadia, intercalando com coragem e medo...sim, medo...aquela gostosa sensação de frio na barriga, como quem vai pular de "bungee jumping".
Comece aos poucos. Vá a pé para o trabalho. Ou vá de ônibus. Ou vá de trem. Ou não vá. É isto mesmo: enfrente as fórmulas, questione-as, reescreva-as.
E tenha absoluta certeza: nada é permanente...tudo muda, o tempo todo.
Então, preparado?
Se sim, ótimo...agora podemos conversar sobre reinventar-se.