Reação na rua - adesivaço #DilmaVaiPerder - 17/05/2014


Depois de muitos anos, voltei às ruas, colocando pra fora minha indignação, ao lado de outras pessoas.

A ameaça ao nosso estado de direito é real, mas muitos ainda não conseguem perceber isto e até menosprezam os alertas.

Nas sextas-feiras, sobre a passarela do Parcão, sentimos ecoar nossas ações nos buzinaços, nas centenas de flashes espocando de dentro dos carros, dos gritos de apoio, mãos pra fora das janelas, em acenos e sinais de "positivo".
Poucos tem acenado com o dedo médio ou xingado ou nos chamado de "vagabundos".

E isto tem sido o combustível nos impulsionando cada dia mais.
Ontem realizamos um adesivaço no Parcão, na esquina das Rua Mostardeiro e Av Goethe. Foi a primeira vez que tivemos contato mais próximo com outros cidadãos. E foi ainda mais emocionante. As pessoas nos chamando para pegar um simples adesivo #DilmaVaiPerder. Buzinando, apoiando, elogiando...


Alguns nos perguntaram "quem está por trás?" ou "quem está pagando?". Uns por curiosidade mesmo, outros porque ainda vivem na pré-história política e tem dificuldades em aceitar que simples cidadãos se movam e reajam sem motivações partidárias.

Não, nosso grupo não tem verba de partidos, não é financiado por nenhuma ONG, não recebe dinheiro de nenhum governo, de nenhuma bandeira.

Nos juntamos, reunimos nossos sentimentos para que nosso grito fosse ainda mais forte. Fizemos uma "vaquinha" e mandamos fazer as faixas; outras pessoas mandaram fazer adesivos, pagando com recursos próprios.

Não, nosso grupo não tem chefe e não tem dono.

Somo cidadãos, somos seres e agentes políticos sim e temos sim posição. Clara, cristalina, precisa e objetiva: queremos o fim deste ciclo de poder coordenado pelo PT e seus satélites e vamos lutar pelo fim da hegemonia marxista.

Ponto. É isto.

Gostou? Isto também bate no teu peito? Também ressoa na tua mente?

Então vem!

Te junta a nós e vamos definir os rumos do nosso país, do nosso estado, da nossa cidade.

Te junta a nós e vamos lutar pelo estado democrático de direito, pelas liberdades individuais, pela liberdade de expressão, pelo direito de sermos cidadão livres e de podermos sair às ruas de cabeça erguida.

Vem conosco.