2010 - Rescaldos

retro2010

E já tá no fim mesmo! Nossa, que ano! A sensação é que não foi UM ano, mas muitos anos em UM.

Intenso, emocionante, certamente não foi um ano “sem sal e sem açúcar”. Ao contrário, um ano condimentado, apimentado, repleto de antagonismos e consensos, perdas e danos, conquistas e sucessos.

Um ano para todos os gostos e sentidos.

Ano de novas e lindas amizades. Ano em que máscaras caíram, desnudando os falsos amigos. Aliás, um ano de grandes revelações.

Ah sim, você poderá dizer: “Mas todo ano é assim”. Pode ser para você, mas para mim este final de década realmente foi de “arrumar a casa”, me livrar dos obstáculos e conquistar novos caminhos.

No campo profissional e político, tristemente vi encerrar um projeto no qual acreditava e acredito. Três anos de trabalho, com grandes conquistas e concretas possibilidades de efetivamente alterar o “status quo”, empoderar de fato o cidadão, abruptamente deixado de lado, talvez por conveniências políticas.

O fato positivo foi ter conhecido pessoas altamente qualificadas e profundamente comprometidas com as idéias e ideais. Certamente estaremos juntos novamente, dando continuidade aos projetos (alguns já em gestação), desta vez sem as amarras e livres dos conchavos e interesses políticos.

Não lembro outro ano em que conheci tantas pessoas maravilhosas. Este foi mesmo o ano das Redes. Somando as Redes Digitais em que participo (Facebook, Twitter, Orkut, MSN, LinkedIn, FourSquare, etc), são mais de 5 mil e 700 conexões (eliminadas as duplicidades, fakes e empresas). Destes, tive a honra e prazer de conhecer pessoalmente 683, de diversos pontos do país, das quais interajo diariamente, em média, com 190.

Novos amigos, novos conhecimentos, aprendizado. Um ano rico.

Do virtual para o real, tive o prazer de participar de encontros dos Farmivileiros; vi nascer e participei/participo do “Fragmentos do FB” (projeto cultural que terá abrangência nacional em 2011); do ETC (Encontro dos Twitteiros Culturais). Neste último tive a honra de ser convidado como palestrante em duas edições; do Movimento Quero Cais, comprometido com o desenvolvimento de Porto Alegre.

Projetos nasceram do virtual e já para 2011 se tornarão realidade no mundo real. E são muitos.

Depois de muitos anos voltei a participar ativamente de campanhas políticas. E constatei com tristeza que nada mudou. Há 30 anos fazem a mesma coisa, do mesmo jeito. Novidades apenas tipos de materiais utilizados. No mais, tudo do mesmo. E tudo errado: sem estratégia, sem planejamento, grande desperdício de recursos e dinheiro. Nosso dinheiro, diga-se de passagem. Em todos os níveis, desde as candidaturas ao executivo até ao legislativo. Mas isto será tema de outra postagem, específica.

Mas nesta reta final, em que a nova década, o segundo decênio desde século, o saldo é altamente positivo. Mesmo as derrotas, os fracassos e as decepções são positivos: são aprendizados e nos fortalecem para seguirmos em frente.

Que venha 2011!