Rede Metropolis em Porto Alegre

Esta postagem será publicada em português e inglês por seu conteúdo.

Nos dias 24 e 25 de novembro passados, Porto Alegre sediou o Simpósio Internacional Governança Democrática em Cidades, um trabalho de articulação da Secretaria Municipal de Coordenação Política e Governança Local, coordenada pela secretária Clênia Maranhão.

A Rede Metropolis é formada por cidade com mais de 1 milhão de habitantes, que buscam soluções compartilhadas para seus problemas, promovendo a trocas de experiências e apresentação de cases.

No dia 24 conhecemos experiências exitosas de Bamako, Berlin, Barcelona, Estado do México, Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre.

Um dos destaques foi a excelente apresentação de Jozek Gruskovnjak, do Sistema Cisco, sobre “Inovação e TIC em Governança e Democracia Local”, numa visão sobre como as Redes com utilização das novas tecnologias tem capacidade de propagar idéias, informações, disseminar conhecimentos, promover a liberdade e exercício pleno da cidadania.

Com muito orgulho recebi a missão/distinção da secretária Clênia Maranhão de me incorporar à equipe que acompanhou as visitas técnicas dos membros da Rede Metropolis em alguns projetos bem sucedidos de Governança em Porto Alegre.

Dia 25 pela manhã rumamos em duas vans, apoiadas por 8 batedores da Guarda Municipal, para a Zona Sul da cidade, para visitar o Vela Social, projeto de inclusão através do esporte (http://www.youtube.com/watch?v=BtlIR694xc4); em seguida nos deslocamos para os “Caminhos Rurais” (Porto Alegre é a segunda capital brasileira com área rural produtiva - http://www.caminhosrurais.tur.br/), onde nossos visitantes tiveram a oportunidade de apreciar vinhos e licores com produção em Belém Velho (Bairro de Porto Alegre), na Vinícola Bordignon (http://www.vinhobordignon.com.br/); encerramos o roteiro no Centro Popular de Compras, projeto da Prefeitura de Porto Alegre, através da Secretaria Municipal de Produção, Indústria e Comércio, totalmente financiado pela iniciativa privada, que retirou os camelôs (vendedores ambulantes) do centro da cidade.

Nossos visitantes ficaram profundamente impressionados com o que viram e os contatos que tiveram diretamente com as comunidades visitadas. Os comentários entre si, eram só elogios, com desejos de conhecerem melhor cada projeto. Entre os deslocamentos, tivemos a oportunidade de falar de outros projetos, desenvolvidos por diversas secretarias e comunidades, desde o Sócio Ambiental até a produção de acolchoados feitos com fibras de PET, comentando e explicando cada uma das regiões de nossa cidade e seus projetos.

Já no dia 27 recebi retornos por e-mail de muitos deles, com agradecimentos pelos “dois loucos dias” passados em Porto Alegre.

É uma pena que nossa mídia tradicional não deu destaque ao evento, que reuniu representantes de 33 países.