Castelo de Areia....ou de Cartas?

Tenho apreço grande pela nossa Policia Federal, pelo excepcional serviço que prestam no combate ao crime.

Entretanto, me intrigam algumas ações, espetacularmente divulgadas, que redundaram como um tiro n´água. Por exemplo: as prisões dos diretores da Schincariol; as prisões de Maluf pai e Maluf filho. A própria “Operação Satiagraha”, envolta em mais mistérios que os objetos de investigação, com delegado afastado e sofrendo processo administrativo, podendo inclusive ser expulso da corporação.

Claro que não ficará sem emprego. Toda ação resultará em plataforma eleitoral que o elegerá deputado federal pelo PSOL em 2010. Isto é notório.

Chama a atenção a chamada “Operação Castelo de Areia”, envolvendo a empreiteira Camargo Correa, a FIESP e alguns partidos, deixando de fora PT e outros sem grande expressão.

Lendo nas entrelinhas, percebemos o efeito eleitoral para 2010: a empresa, como tantas outras no país que fazem doações à partidos políticos, poderá rever sua disposição, alegando mais que a crise internacional; o presidente da FIESP é candidato declarado em 2010 e todos os partidos envolvidos ou apoiarão José Serra ou lançarão candidaturas próprias, não apoiando a comissária do presidente, Dilma Rousseff.

Isto é preocupante, pois a Operação Castelo de Areia poderá virar um “Castelo de Cartas”, não resistindo a menor brisa. Aliás, os ventos contrários já começaram a soprar, com a liminar que mandou soltar todos os presos, concedida pela desembargadora do Tribunal Regional Federal da 3ª. Região, que em seu despacho de 17 páginas, critica o juiz que ordenou as prisões afirmando estar “baseando-se em afirmações genéricas e extremamente vagas”.

Aguardemos o desenrolar dos acontecimentos.